0010728103F-849x565Os pesquisadores analisaram dados do projeto de longo prazo “Viva”, que consistiu em entrevistas pessoais, questionários e estudos realizados desde o nascimento até a idade de sete anos. Ele mostrou que aquelas crianças que tiveram o menor tempo de sono apresentaram os níveis mais altos de medidas corporais relacionadas à obesidade (altura, peso, gordura corporal, gordura abdominal, massa corporal magra, circunferência da cintura e quadril).

A associação foi encontrada em todos os grupos etários, o que levou à conclusão de que não havia fase crítica para a ligação entre sono insuficiente e obesidade. O problema estava particularmente disseminado em famílias de baixa renda, entre mães com menor grau de instrução e entre minorias étnicas.

Ainda deverá ser pesquisado se a melhoria do tempo de sono leva ou não a menos obesidade, disse a autora principal Elsie Taveras. Em todo o caso, os pais devem ter consciência que sono regular, suficiente e de boa qualidade é essencial para seus filhos.