mais_not3

Contraceção de Emergência (CE) é um termo que se refere ao tipo de contraceção utilizada, tal como o nome indica, numa situação de emergência para prevenir a gravidez após uma relação sexual desprotegida ou na qual houve falha do método contracetivo regular.
A CE é muitas vezes referida como “a pílula pós-coital” ou “a pílula do dia seguinte”, no entanto estes termos não são os mais adequados uma vez que a CE não se apresenta única e exclusivamente sob a forma de pílula e para além disso não tem necessariamente que ser no dia seguinte, apesar de ser mais eficaz se for utilizada nas primeiras 24h..

Em que situações se deve recorrer à CE?
A contraceção de emergência deve ser utilizada nas horas seguintes à relação sexual que se julga de risco, ou seja, que se efetuou durante o período fértil (entre o 12º e o 16º dia após o início do período menstrual), de preferência o mais breve possível até ao período máximo de 72 horas.

Deve-se recorrer à CE nas seguintes situações:
– Quando nenhum contracetivo foi usado
– Quando houve falha do método contracetivo regular:
– Rompimento ou uso incorreto do preservativo;
– Esquecimento de dois ou mais comprimidos na contraceção oral combinada;
– Atraso de 3 horas na toma do comprimido de contraceção oral com progestagénio;
– Falha do coito interrompido;
– Erro do cálculo do método de abstinência periódica;
– Expulsão do Dispositivo Intra – Uterino (DIU);
– Expulsão do anel vaginal por mais de 3 horas.
– Em caso de violência sexual, quando a mulher não foi protegida por um método contracetivo eficaz

Como funciona a contraceção de emergência?
Existem dois tipos de CE, contraceção Oral de Emergência (COE) e DIU de cobre. Ambas as formas servem para prevenir a gravidez, consoante a altura do ciclo menstrual em que se toma, através do impedimento da ovulação, fecundação ou a implantação dum ovo na parede do útero.

Quais os efeitos secundários do uso frequente da contraceção de emergência?
A contraceção de emergência pode provocar náuseas, vómitos e diarreia e, por vezes, também dores de cabeça, tensão mamária ou retenção de líquidos.

A contraceção de emergência é cem por cento eficaz?
Não. Existe mesmo assim a possibilidade de uma gravidez. O risco é porém menor. O uso frequente não é recomendável tanto pelos efeitos secundários que pode provocar quanto pela menor eficácia contracetivo em relação a outros métodos. Também provoca em alguns casos problemas de infertilidade.